quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Com muitas coisas na cabeça

Bom dia!!!! E que bom que a minha cabeça está cheia de coisas boas. Quero muito agradecer as minhas 2 seguidoras Djaniza Vasques e Nanda Ferreira, por seus comentários, eles me deixam muito feliz. Eu estou começando a ver que meu problema não está na gordura e sim na cabeça! O livro Aleggria é maravilhoso, ja estou quaase terminando, ele é viciante, voce começa a ler e não quer parar mais. Vou postar um texto que li esses dias e espero que voces gostem!

Olho o cardápio pela décima vez, tentando convencer meu estômago de que um sanduíche light de peru é melhor do que uma fatia de bolo de banana com nozes.
Não dá. É óbvio que um bolo molhadinho e crocante (como conseguem conciliar as duas coisas?) é infinitamente mais atraente e saboroso do que duas fatias de pão seco acompanhadas por um melancólico peito de peru.
Mas é preciso resistir e já estou a um passo de pedir (tristíssima) o sanduíche quando me lembro de uma frase da humorista americana Erma Bombeck: 'Aproveite o momento. Pense nas mulheres do Titanic que tinham acabado de recusar a sobremesa'.
Era o argumento que me faltava.
Ataco o bolo de banana com uma alegria sem limites e sem qualquer vestígio de culpa. A sensação é de prazer absoluto. Um momento raro, penso.E chego à conclusão de que nós, mulheres, temos nos permitido
cada vez menos esses momentos.
Temos recusado as sobremesas, as entradas, os pratos principais... E não só nas refeições, mas na vida em geral,o que é uma pena...
'A gente tem que fazer tudo certo. Parece agenda de escoteiro', se queixa Flávia. 'Começa com a tal da alimentação saudável e que não engorde, o que às vezes significa abrir mão de todos os alimentos que nos dão prazer.
E não venham me falar em comer meia barrinha de chocolate uma vez por semana, porque isso não é prazer - é masoquismo disfarçado.
Mas a comida é só um item na lista.
A gente vive fazendo o que não quer, pra causar boa impressão nos outros, ser admirada, elogiada, enfim, pra que todos nos achem o máximo'. Cito a frase de Erma Bombeck. Flávia se exalta: 'É isso mesmo! A gente tem se privado de tudo que é bom, como se a vida fosse durar pra sempre. Só que o Titanic afunda quando a gente menos espera'.
Silvana, que vinha acompanhando a conversa em silêncio,interfere: 'É por isso que eu não abro mão de certas coisas, inclusive de comer o que eu gosto. Quando o barco afundar, bóia eu já tenho (rs). Ou vocês acham que estes pneuzinhos estão aqui à toa?'. Ela conta que já recusou muitas sobremesas, em todos os sentidos. Mas, desde que foi vítima de um assalto e viu que sua vida poderia ter acabado ali, decidiu viver com mais leveza e mais alegria. 'Parei de me policiar 24 horas por dia, tentando ser a mais perfeita das mulheres. Foi como se eu morasse em uma casa escura e, de repente, abrisse todas as janelas pro ar e o sol entrarem.' Arejar a vida implicou revogar o que ela chama de 'regrinhas tolas'. 'Com um planeta ameaçado de ficar sem água, vou me preocupar com as raízes do meu cabelo tinto? Não! Quero mais é viver'.
Viver, hoje, para a advogada, significa encher a cozinha de carboidratos, escolher 'muuuito' os lugares aonde quer ir ('Cortei pela metade os aniversários, casamentos, formaturas e alguns encontros de família'), sair com homens 'bem mais novos ou bem mais velhos' sem se preocupar com o que os outros pensam, parar de fazer jogo de cena para que os homens a achem difícil ('Eu tenho alma de mulher fácil e ficava exausta fingindo que era inacessível') e por aí vai. Às vezes ela se dá de presente um 'dia da noiva', mesmo não tendo nenhum noivo em vista. Outras vezes, sai para dançar mesmo não tendo companhia ('Bebo alguma coisa antes de sair pra ajudar a vencer a timidez'). Quanto às sobremesas, nem pensar em recusar: 'Mesmo porque', ela explica, 'o prazer que um petit-gâteau me proporciona pouquíssimos homens, até hoje, conseguiram me dar'.'Travel light', ou 'Viaje com pouca bagagem', vivem aconselhando os turistas mais descolados. Silvana adotou a prática: 'Eu recomendo a todas',conclui. 'Descompliquem a vida. E, enquanto o mar permite, boa viagem'.



Um comentário:

  1. Que bom que você tem estado mais feliz!E que bom que a gente pode fazer parte disso! É isso aí vamos descomplicar, viva a vida mais leve, você vai ver como fica mais fácil até no trabalho.

    Bjux!
    mulheresplus.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comenta! Comenta! Comenta!